Páginas

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Adolescência. (O tal texto para o teatro)

Embora eu seja adolescente, nao tenho uma boa visão disso.
Eu olho e vejo a parvoíce dos adolescentes. Óbvio que isto nao se aplica a todos, mas a muitos.
Uns querem ser rebeldes e para isso fumam, bebem, drogam-se e sei lá que mais.. Como se algum destes actos representasse maturidade. E que é exactamente o contrário. Não saber beber é ridículo. Fumar para se evidenciar é só mesmo estúpido. E drogar-se, bem, palavras para quê?!
Ainda à aqueles adolescentes que apenas querem iniciar a vida sexual e usam isso para comparar quem o fez mais cedo, Idiotas.
Na maioria das vezes os adolescente formam "grupos". Estes são variados. Tanto se podem formar por as pessoas terem um estilo comum, por fumarem, por gostarem das mesmas coisas, etc. ...
Existem imensas grupos de adolescentes: betos, punks, dreads, hippies, góticos,... Imensos mesmo. A mim interessam-me particularmente os "betos", que na maioria são grupos inteiramente femininos. Neste grupo as raparigas andam todas, ( e friso "todas") vestidas de igual, com o mesmo género de roupas, falam da mesma maneira, usam o cabelo com o mesmo corte, ... Qual será a piada?
Ou então, juntam-se e falam por código e gozam com as pessoas qe acham inferiores.
Isto é aquilo que vejo quando olho para os adolescentes.

Em relação a mim e àquilo que sou é fácil de explicar, agora ao qe sinto já é mais complicado.
Também tenho o meu grupo de amigos. Não somos betos, punks ou muito menos os "fixes" lá da escola. Somos um grupo de pessoas muito diferentes mas com interesses e gostos comuns. Alguns de nos ja estao juntos à 10 anos, o que numa vida de 15 é imenso. Eu adoro os meus amigos e eles são o meu interesse principal.

Aquilo que sinto é uma grande confusão. Suponho que seja assim com todos os adolescentes. Encontrei uma parte de um poema que define exactamente e que sinto, melhor era impossível:

" ? Quem sou eu?

Sempre qe reparo em mim
sinto duas forças opostas
a solicitaro mais porfundo do meu ser:
Por um lado uma força de expansão
e de relação;
Por outro, uma força de regressão
e de isolamento.
Por um lado, um infinito desejo
do amor
e de comunhão com otda a humanidade;
por outro, uma vontade louca
de me fechar egoisticamente
e de triunfar sozinho.
!?MAS QUEM SOU EU AFINAL?! "

São todas estas dúvidas e mudanças de humor que sinto. Tanto quero estar com os meus amigos, sair, rir, conversar, como quero estar sozinha para pensar e nem sequer manter contacto com os outros. Adoro esses momentos. Ouvir música e estar sozinha é uma ideia que me agrada.
Mas ao mesmo tempo quero estar com os outros e conviver, rir, comunicar!
Também entrei numa fase em que não acredito em nada! Nem eu qualquer religião! Ponho tudo em dúvida.
É isto que sinto e é isto que sou!

4 comentários:

  1. Muitas coisas na vida sao dificeis d compreender... e a adolescencia e uma delas... esses grupos de k falas sao uma idiotice (concordo) e nao e por querermx ser iguais aos outros que vamx definir a nossa personalidade... Saber ser quem somos e uma tarefa dificil... porem nao e impossivel... Cada pessoa tem os seus gostos... cada pessoa tem a sua atitude e nao devemos exclui la so por ser diferente daquilo k nos somos... O nosso grupo de amigos ate pode ser o mais estranho de todos (altos, baixos, uns que nao conseguem ficar parados, outros k tem cocegas, uns k tem cabelo comprido outros curto, uns k nao percebem nd d kimica mas adoram ingles e vice versa) mas ninguém é expulso deste grupo so por ser diferente de todos os outros... todos nos compreendemos todos nos apoiamos e e ixo k interesssa num pequeno grupo que esta a aumentr cada vez mais, k e onde todos s sentem bem com a sua forma de ser... e tenho dito...
    =P

    ResponderEliminar
  2. concordo cntigo as 10 000%

    e ja reparas-t qe se o nosso grupo de amigos fosse mau, nao tinha crescido tanto assim em tao pouco tempo.

    :p


    Somos os mááááiores!

    ResponderEliminar
  3. Desculpa a invasão, mas identifiquei-me com o teu texto. Concordo plenamente com isso de fumar ou de beber e sinceramente não percebo qual é a ideia das pessoas que se metem com essas coisas. Em relação aos grupos de adolescentes, tenho q admitir q me identifico talvez mais com os betos, mas também não gosto de essa ideia de sermos todos iguais. Acho q podemos ter gostos parecidos ou iguais e mesmo assim não sermos fotocópias uns dos outros.

    Achei muita graça ao teu blog, e pelo menos a mim, parece-me q és tudo menos "anormal" (segundo o teu sobre mim), acho q anormais são todos aqueles q não concordarem contigo...

    Desculpa de novo a invasão.

    ResponderEliminar