Páginas

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Nunca me esqueci de ti




Bato a porta devagar,
Olho s� mais uma vez
Como � t�o bonita esta avenida...
� o cais. Flor do cais:
�guas mansas e a nudez
Fr�gil como as asas de uma vida

� o riso, � a l�grima
A express�o incontrolada
N�o podia ser de outra maneira
� a sorte, � a sina
Uma m�o cheia de nada
E o mundo � cabeceira

Mas nunca
Me esqueci de ti

Tudo muda, tudo parte
Tudo tem o seu avesso.
Fr�gil a mem�ria da paix�o...
� a lua. Fim da tarde
� a brisa onde adorme�o
Quente como a tua m�o

Mas nunca
Me esqueci de ti







Adoro esta m�sica. N�o podia deixar de public�-la. =)

4 comentários:

  1. :p


    qe grande comentário! hahah

    eu sei qe ficou estúpido.. mas nao sei pq fica assim!

    ResponderEliminar
  2. agora com o vista aparece um kuadradinho em vez de um ponto de interrogaçao num kuadrado

    ResponderEliminar