Páginas

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Obama Nobel


Tenho pelo senhor Obama a maior consideração e respeito. Tenho imensa confiança nas suas palavras e gosto de pessoas que sonhem alto. Acredito que este homem desencadeie melhorias na vida da Humanidade.

Primeiro que tudo, conseguiu a grande mudança de mentalidades a nível global, levando à sua eleição. Depois, depois de eleito, conseguiu fazer o mundo acreditar que a grande crise que travava seria (e será, esperemos) ultrapassada, as guerras iriam acabar, motivou trabalhadores, and so on and so on...
Tudo isto são motivos para a atribuição de um Prémio Nobel da Paz, é claro.


Depois de afirmadas as minhas convicções devo dizer que acho que a atribuição deste prémio a Obama, este ano, foi totalmente disparatada.

Há, para mim, três fazes para chegar a uma acção conclusiva (a um resultado, pronto):
1º- Ter a ideia
2º- Planear a execução da mesma
3º- Chegar a uma conclusão (seja esta positiva ou não)

O Senhor Obama motivou o mundo. Por ser um homem com vontade dinâmica, hoje o mundo vive num clima mais calmo, com menos barafunda no que toca a questões globais e do relacionamento internacional. Ele motiva o mundo para lutar contra a miséria do mundo (e em particular, de África), motiva o mundo para combater o aquecimento global, motiva o mundo para ter um limite de armamento nuclear, motiva o mundo para respeitar a Organização das Nações Unidas, motiva o mundo para respeitar a Constituição dos Direitos Humanos, ...
Aqui o grande problema é o "motiva o mundo".

O presidente Americano tenta alterar o código moral da sociedade, mas em concreto, não faz nada.
Isto é, ele está na segunda fase para chegar a um resultado. Ele planeou e decidiu que motivar o mundo para agir seria a melhor maneira de ver as suas ideias concretizadas.
Mas ainda não têm "trabalho feito". Sobre que propósitos é que lhe foi atribuído o prémio este ano?
Havia pressa? Porque não esperar dois ou três anos?
É claro à vista de todos (não o presidente, obviamente) que o senhor tem todo o potencial para, aquando o momento da concretização de alguma coisa, ser galardoado com tal recompensa.

Bem, talvez entenda os motivos porque ele recebeu o prémio: o discurso do presidente é notável tal como a sua postura. Mas isto resume-se ao factor motivante.
Acredito piamente que enquanto ele advoga a sua política pacifista no mundo, alguém fez alguma coisa em concreto. Acredito que grandes indivíduos salvaram pessoas da pobreza, salvaram tribos, ajudaram instituições, resgataram presos, sei lá...Tanta coisa por fazer, de certezinha que alguém se lembro de aguma coisa.
Estou-me a lembrar de nomes como Catarina Furtado, Angelina Jolie, por exemplo. Dois nome associados à ajuda a a grandes instituições.
Sei que a Jolie terá uma projecção um pouco (coisa pouquinha) maior do que a Catarina, mas bolas!, terão feito mais do que o Obama, não?


P.S.- Só usei os nomes Catarina Furtado e Angelina Jolie por serem os primeiros dois a saltarem à memória quando me lembrei de embaixadoras de instituições e organizações.

Sem comentários:

Enviar um comentário