Páginas

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Comunicações


    Odeio falar ao telemóvel. Quando digo telemóvel incluo telefones e qualquer outro dispositivo de comunicação móvel e não móvel. Irrita-me solenemente andar a falar para um instrumento plástico. Não há mesmo maneira de gostar.
    Se estou no computador (maioritariamente utilizado para escrever e trabalhar) e me ligam, já sei que vou ter de me dar à proeza de escrever só com uma mão - o que é tão frustrante como andar a 10kmh na estrada. Se ando a fazer alguma coisa (arrumar a casa, estudar, falar com a mãe, ...) tenho de interromper a tarefa em decurso para ouvir alguém (quase cem por cento das vezes é mesmo o Alguém) a contar/dizer alguma coisa que, na maioria das vezes, não é um caso de vida ou de morte (ocasiões em que não me importo que me liguem). Para além disto, ainda é importante mencionar que, se estiver muito tempo ao telefone (para mim 10 minutos já é muito tempo) o braço e a orelha começam a doer, o que causa um desconforto incrível.
     Ainda há o facto das radiações interferirem com qualquer coisa do nosso organismo (já ouvi teorias sobre afectar o cérebro e outras sobre afectar o coração).
  
    O problema das chamadas telefónicas não acaba aqui: é tão chato atender o telefone como não o fazer. Vejamos: se não atendo o telefone ligam-me cerca de vinte e cinco mil vezes para o 91e mais seis mil e quinhentas para o 96. Quando não atendo em nenhum dos meus números, passam para o meu telefone fixo ou para o telemóvel da minha mãe. É um massacre. Será que é complicado entender que não gosto de falar ao telefone?

  Conclusão: não há nada benéfico em atender o telefone. As mensagens são muito mais práticas, ficam  guardadas e eu posso responder quando tiver tempo e/ou quando quiser. Mas também não há benefícios em não atender porque as pessoas tendem a desconhecer ou ignorar o factor "não quero atender".

Vou sugerir a uma empresa qualquer que fabrique um telemóvel sem a opção de chamada. Parece-me perfeito.

2 comentários:

  1. Por acaso, esses telemóveis de que falas existem, chamam-se pagers: http://en.wikipedia.org/wiki/Pager

    A ideia é excelente, já agora.

    ResponderEliminar
  2. pensava que os pagers só serviam para enviar pequenos grupos de dígitos (geralmente o numero de telemovel que quer que ligues). Não sabia que também tinham a opção de sms! =O

    Assim sendo, já tenho o meu dispositivo de eleição criado! Nunca vi foi nenhum à venda em Portugal.

    ResponderEliminar