Páginas

segunda-feira, 1 de março de 2010

   E aquelas vezes que, por descargo de consciência, atendo o telefone apesar de estar com trabalho até às orelhas e o diálogo que acontece é algo parecido com isto:
      - ...Sim? (com uma voz de aborrecimento)
      - Olá. Que estás a fazer?
      - Olha, desculpa mas agora estou ocupada. Quando puder digo alguma coisa.
      - Estás a fazer o quê?
      - Coisas (isto é dito com esperança que a outra pessoa perceba que não posso [ou não quero] mesmo falar).
      - Que coisas? 
      - ...
      - Porque não respondes? Que andas a fazer? Demoras muito? Quando respondes? Estás a trabalhar? Estás na net?
      - ........


Tenho uma paciência de santa.

1 comentário: