Páginas

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Câmara de Mirandela afasta professora que posou para a “Playboy”


     Eu sabia que a vinda do papa a Portugal só ia trazer más consequências: as pessoas iriam aproveitar para rezar mais e trabalhar menos (na ânsia de ver os seus pedidos de sucesso e dinheiro a nosso senhor atendidos, em vez de trabalharem para superar a crise) e, inevitavelmente, inundaria o nosso povinho de ideias retrógradas do tempo de Jesus Cristo.

      Mas a que propósito é que uma mulher é despedida para pousar para a Playboy? É menos competente por ser lindíssima e ter um bom corpo? A inveja, de facto, é uma coisa terrível. Convém realçar o facto de ter sido uma vereadora da educação (ou deverei dizer uma atrasada mental retrógrada que nem devia ter a sorte de ser mulher?) a afastar a Bruna, a professora em causa, do seu cargo. Isto é ridículo. Absolutamente ridículo.

          Vivemos no século XXI, minha gente. Se eu tivesse um corpo daqueles, se calhar até eu pousava para uma revista de prestígio como aquela (pronto, talvez não, mas dá para perceber a ideia). Longe está a ideia que nos impunham de que uma mulher bonita é má profissional. 

"Segundo apurou o Jornal de Notícias junto da direcção da escola, a atitude da profissional foi considerada incorrecta e, por isso, adiantou José Pires Garcia, "é preciso tomar uma atitude depressa. Aparecer numa revista sem roupa não é compatível com a função de educadora", lamentou, lembrando que "mantê-la no grupo seria nocivo para a comunidade escolar".

        José Pires Garcia, és uma besta. Uma grandessíssima besta. Portanto, manter aquela professora na escola é nocivo. Então tirem também os computadores das bibliotecas. Os alunos podem aceder a pornografia por lá. Mais! Qual é o rapaz que ainda não viu uma mulher nua? É uma grande hipocrisia fingir que eles ficam escandalizados por terem uma professora na escola que se despiu para uma revista. Não sei se a senhora vereadora sabe, mas ver a Playboy ha-de ser a coisa menos perversa que os adolescentes (mais dados aos pecados carnais, claro) fazem.

             AInda tenho a dizer que se fosse um homem a despir-se era o herói da zona. Como é uma mulher, afastam-na logo porque é vaca e sabe-se lá mais o quê. Este tipo de notícias só fomenta a minha ideia: Portugal é um país muito atrasado com uma mentalidade retrógrada e preso a ideais religiosos. Há que evoluir. Em tempos também se disse que o sol girava à volta da Terra. No entanto, as coisas mudaram - para melhor.

5 comentários:

  1. é neste tipo de situações que conseguimos perceber que a nossa liberdade não é total...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. mas onde é que já se viu despedirem uma pessoa por causa de uma coisa assim... é absolutamente ESTÚPIDO!
    quer dizer, despedirem uma professora por posar para a playboy está correcto, mas despedirem certos políticos pela corrupção ininterrupta que têm praticado ao longo dos anos, não pode ser. depois vem o shôr presidente da república queixar-se sobre os jovens portugueses que vão viver para o estrangeiro. mas qual é que é a pessoa que quer viver num país de retrógrados? é impressionante ver pessoas na faixa dos 20-30 anos com a mentalidade da minha bisavó.

    ResponderEliminar
  4. Há aqui um equívoco. A professora não foi despedida, ela estava a contrato e foi afastada das suas funções normais, passando a trabalhar na biblioteca ou secretaria (já não tenho a certeza qual).

    Apesar de achar que a liberdade individual é dos direitos mais essenciais; a verdade é que a Playboy não é conhecida por ser uma revista artística, é antes um "auxiliar masturbatório" se me permite a expressão.
    É por isso que também compreendo que alguns pais não apreciem a ideia de a senhora continuar a ensinar os seus filhos.

    ResponderEliminar
  5. "despedida para pousar para a Playboy? É "

    Não quererias dizer "por pousar"?

    ResponderEliminar