Páginas

domingo, 5 de setembro de 2010

Dentes do siso

      Porquê? Porque é que nascemos detentores de quatro ossos completamente inúteis? Porquê? Onde é que está o senhor Lamarck?
      Bem, segundo Lamarck já não os deveríamos ter devido à lei do uso e do desuso. Ora, se não usamos os dentes - na verdade são arrancados na maioria dos casos - porque continuamos a nascer com eles? Já deveriam ter ficado perdidos algures numa geração muito anterior à minha!
      Segundo Darwin concluo que temos os dentes porque somos mais aptos. Mas mais aptos em quê? Eles não são precisos, senhor! Não são. Só dão dores e chatices. Se vamos lá pela evolução, os que nascem sem os malditos dentes é que deveriam sobreviver.
       Se me debruço sobre a ideia da criação divina, porque raio é que o senhor ainda não se deu ao trabalho de fazer desaparecer com os dentes do siso nos bebés a caminho e nos que ainda estão por surgir? Já nem peço nada para mim, mas que se evite sofrimento desnecessário no futuro.

       Enfim, estou em sofrimento e por isso é que tenho esta veia, mais em delírio, muito acesa. Faz agora um ano que comecei a ter dores horríveis - que ainda tenho - nos dentes que são tão intensas que se estendem a todo o maxilar e cabeça. Fui ao dentista a pensar algo do tipo "pronto, isto é obra das cáries, de certezinha. Comi qualquer coisa e fiquei com infinitas cáries nos dentes" visto que as dores eram tão intensas e surgiram, literalmente, de um dia para o outro. Chegada ao médico dos dentes perguntam-me a idade e reencaminham-me logo para a sala dos raios-x e tac's. Nesta altura ainda não estava a perceber bem o que se estava a passar. Acabados os exames todos o dentista diz-me que eu era portadora de um caso interessantíssimo que se resume ao seguinte: os meus dentes do siso do maxilar inferior estão presos aos tendões da cara que passam num canal dentro do maxilar. Ora, isto não teria problema nenhum se os dentes ficassem quietinhos - que não estão. Ao mexerem-se para encontrarem espaço para nascer puxam os tendões e podem rompe-los. Quais são as consequências disto? Posso perder a sensibilidade na cara (nas bochechas e toda a zona da boca e queixo).
        O senhor dentista, sempre muito animado, lá me tentou acalmar e a dizer que possivelmente, se isso acontecer, só me ia babar durante uns tempos e depois aprendia a controlar os músculos da cara mesmo não sentido nada. Já comigo em pânico, recebo a fantástica notícia que o meu caso é tão interessante que nem a cirurgia que geralmente se faz nestes caso (extracção dos sisos através de incisões na cara para se ver os tendões e os ossos e evitar que, ao puxar o dente, se partam os tendões) é viável para mim porque a relação dente-tendão é tão íntima que a cirurgia é muito arriscada e posso ficar sem sensibilidade, na mesma.
       Conclusão da história: segundo o perito dentário resta-me esperar e ver o que acontece nos próximos meses, anos. A verdade é que desde que começaram as dores, nunca pararam. Umas vezes quase não ao noto, outras até a mastigar me doem os molares que devem estar sob uma pressão maluca. Lá continuarei eu a aguentar isto. Antes ter dores do que deixar de sentir a cara!

4 comentários:

  1. Que cena :0
    O meu caso foi (muito) mais simples, embora da última vez não tenha corrido lá muito bem. Parecia um dragão, mas cuspia sangue :s

    ResponderEliminar
  2. Pois, os meus amigos que tiraram os sisos também o fizeram no consultório do dentista e tudo e foi bastante simples. Ainda assim, andaram todos inchados, a cuspir sangue e com os pontos e não sei quê :s
    Mas eu, caso queira arriscar a operação, tenho mesmo de ir ao hospital ou a uma clínica porque têm de abrir a cara. :o
    Enfim, eu sou uma mariquinhas de primeira e, como é óbvio, não vou por a patinha no hospital. Tenho pânico desses edifícios. Por isso vou aguentar.

    ResponderEliminar
  3. ai, ai... espero que isto não me aconteça... não havia de ser nada bonito :(

    ResponderEliminar
  4. Algumas pessoas já nascem sem estes dentes (louvada seja a evolução!). Quem sabe se não és um dos felizardos?

    ResponderEliminar