Páginas

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Canhões e coisas que tais

      Esforço-me mas não consigo entender qual é a piada de fumar ganzas. Não venho com nenhuma espécie de discurso moralista ou coisa que o valha. Nem muito menos digo nunca até porque posso entrar num estado de demência qualquer e perder o controlo absoluto sobre as minhas decisões. Mas alguém me explica qual é o objectivo de juntar um grupo de pessoas para fumarem droga e ficarem com uma moca dos diabos?
      Do ponto de vista do observador é a coisa mais deprimente a que se pode assistir. Mais deprimente que isto só ver pessoas que, cheias de prática nessas actividades, se fingem novatas e encenam uma peça infeliz onde esperneiam e se queixam de formigueiros aqui e ali. Ou então aqueles que depois se gabam de ter mandado umas passas no charro. Isto é a podridão humana no seu estado mais puro.
       Por mais vezes que assista a estes espectáculos degradantes nunca lhes vou conseguir achar piada.

7 comentários:

  1. Não. Nem sequer me sinto tentada a tal. É mesmo daquelas coisas que não me suscita interesse algum.

    ResponderEliminar
  2. Não. Nem sequer me sinto tentada a tal. É mesmo daquelas coisas que não me suscita interesse algum.

    ResponderEliminar
  3. Mas não tens que experimenar para ter opinião, não é por ai. Não podes é basear a tua opinião num caso concreto e generalizá-la.
    O uso de cannabis tem imensos aplicativos, desde a medecina ao divertimento claro está, mas até no divertimento exitem várias formas de lidar com a experiência.

    ResponderEliminar
  4. Eu não baseei a minha opinião NUM caso concreto. Baseei a minha opinião é vááários casos.
    Como é óbvio (ou pelo menos achei que fosse), eu não me oponho contra o uso de drogas se estas têm uma função médica. Mas quanto ao divertimento tenho opinião formada e não é positiva.
    Não vejo divertimento nenhum em andar pedrada. Tal como disse, qualquer um, pedrado, faz figuras completamente ridículas. Diz e faz coisas de que se pode arrepender mais tarde. É uma infelicidade total, para mim, ver pessoas vangloriarem-se por terem estado sob o efeito de drogas ilegais.

    Se há gente que o faz por diversão própria e não para se gabarem a terceiros? Há, mas isso enfim. Cada um sabe de si.

    Quando à generalidade da mata nova é claro que passa quase por um subir na escala social. É contra isto que eu estou piamente contra.

    ResponderEliminar
  5. Mas tens que entender existe pessoas que pedradas não fazem figuras ridiculas, que nçao dizem ou fazem coisas de que podem arrenpender e que não se vangloriam disso. Conheço imensos casos de adultos que o fazem porque os faz sentir bem e/ou cirativos. As consumidores de cannabis não se situam só na faixa da adolescência.

    Acho que a tua forma de colocar argumentos está longe de se basear em algo concreto cientificamente mostrado. A tua opinião é puramente social e desse modo ilustrativa de casos directos à tua observação. Errada portanto.

    O que achas do consumo de, por exemplo, um copo de vodka? Um só! Provavelmente tá-se bem, mas sabias que destróis mais corporalmente o que com uma "ganza"?

    Eu nem sou consumidor diga-se de passagem, mas podia ser.

    E se a tua opinião é assim tão fixa e incontestável eu assumia-a de raiz! Vai num instante onde tens os teus cd's de música preferidos e mete-os ao lixo, são resultado da criativade suscitada por sabes o quê? Pensa nisso!

    E, Johnny Deep? Ouch! ;) lol

    ResponderEliminar
  6. Eu em ponto algum disse que os meus argumentos se baseavam em alguma coisa cientificamente mostrada. Os meus argumentos são exactamente isso, meus! É a minha opinião. Não a considero errada porque sei do que falo e dos casos que já vi. Certamente existiram muitas outras reacções perante a mesma substância mas o que eu digo não é, de todo, errado.

    Quando ao vodka... Bem, é uma questão de "saber beber". Que se repare que nesta idade pouco me importam os efeitos nefastos do alcool ou das drogas - estou a exagerar ligeiramente. Claro que importa, mas não é um factor absolutamente decisivo. Eu não quero saber se a droga destrói mais ou menos que o vodka. Não quero mesmo. Mas se eu beber um copo de vodka fico cem por cento lúcida e capaz de fazer decisões sensatas. Se eu fumar um charro acabo a fazer de palhaça num sítio qualquer que nem vou saber qual é.

    Depois, que raio tem a ver a música que ouço com a droga?! Desde quando é que ouvir música transfere para mim a taxa de substâncias ilícitas no corpo que os autores delas tinham momento em que as criaram?! Em momento algum! Esse argumento nem se coloca no sentido em que escrevi o post.

    Quando ao meu Johnny... Anda longe ;P

    ResponderEliminar