Páginas

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Egoísmos

         Somos todos movidos por interesses egoístas – uns mais que outros. Não fazemos isto ou aquilo com base no bem estar geral, deixemo-nos de hipocrisias sociais. Procuramos o nosso momento de bem-estar, a nossa zona de conforto. Claro que uns podem abdicar de uma cota parte disto em prol  dos outros (atitude louvável, diga-se. Digna de um mártir)  mas, regra geral, todos nós temos um fundo nada altruísta que se debate por encontrar a melhor saída para o que almejamos.
        Somos tão egoístas que escolhemos uma pessoa porque ela tem parte de nós, - um pedaço que nos falta e foi escondido noutro indivíduo qualquer para que a nossa existência se prenda nessa procura, nesse jogo -  e não porque ela, em si, é a nossa pessoa. É tudo uma vontade individual de nos sentirmos completos e não um desejo desmedido de tornar outro feliz. Nós queremos que a outra pessoa esteja bem porque ganhamos com isso, a verdade é esta e a prova disso é que tudo se faz na espera de poder cobrar o feito mais tarde: ou bolos que se oferecem para depois receber flores, ou uma massagem que se dá porque se sabe que acaba numa espécie de sinfonia sexual ou até mesmo a mensagem que se manda  na espera de receber uma resposta. Se assim não fosse, não se fazia nada. Se não quiséssemos receber resposta, não mandávamos mensagem. Se não quiséssemos flores, não oferecíamos outras prendas – ou oferecemo-las para pagar as flores já recebidas. É tudo um contrato social, um negocio entre dois sujeitos que se comprometem  a conjugar interesses de forma harmoniosa e a dar & receber (nunca apenas um destes) equitativamente.  Subimos um degrau sempre a contar que o próximo seja o outro a subi-lo e por aí em diante. Forma-se uma equipa constituída por dois elementos que têm um interesse egoísta , que por sinal é comum ao  de toda a gente – ser feliz.
        Bem, isto ou é egoísmo ou então sempre há amor, Não sei. 

3 comentários:

  1. Até eu acho que estás a ser demasiado pessimista. Contrato social? Eishh. Pareces um computador a falar.

    ResponderEliminar
  2. Como vês é a mão invisível de Smith em funcionamento :b

    ResponderEliminar
  3. @PurpleTeen: True, sou uma pessimista no que toca a pessoas. não gosto de esperar nada de ninguém e assim não me desiludo.

    @Paralalia: Nem me digas nada... Eu a escrever isto e a lembrar-me sempre desse senhor e que o vou ter de aturar para o ano! -.-'

    ResponderEliminar