Páginas

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Os três - resposta ao Dexter

para ler o post original é só clicar aqui, e ir ao Confissões de Uma Mente Depravada.

   As três figuras da História recente ou antiga com quem eu gostava de conversar pelo menos uma hora são:

1 - Adolf Hitler: Não me lembro se já o referi aqui mas sou uma grande fascinada pela segunda guerra mundial. Hitler é, sem dúvida, uma grande figura desse tempo e daria tudo para lhe perguntar qualquer coisa como "Oh sócio, mas como é que te passou pela cabeça chacinar judeus basicamente porque sim?". Claro que sei as motivações que o levaram a tal, as crenças que ele tinha, mas queria que ele me explicasse que raio de ideia lhe passou pela moleirinha. É preciso ser-se genial para arquitectar um plano daquela envergadura, com os detalhes de execução que ele tinha. Não sou psicóloga nem estou a estudar para tal, mas gostava imenso de estudar este senhor. Afinal de contas, ele conseguiu mover massas a pô-las a alinhar em todas as barbaridades que pudesse dizer, sem sequer pestanejarem.

2 - José Saramago: Com a leitura obrigatória do Memorial do Convento a coisa podia ter dado para o torto porque tenho uma incapacidade natural para reagir bem quando sou obrigada a fazer seja o que for, mas a verdade é que já tinha lido As Pequenas Memórias e fiquei fascinada pelo percurso de vida do senhor. Era arrojado no que dizia, deixou textos brilhantes e aquela escrita dele sem a pontuação comum e organizada de uma forma muito pessoal é tudo aquilo que eu gosto - é diferente. Gostava de ter um debate com o Saramago sobre religião.

3 - Kurt Cobain: Gostava de perceber como é que se pode ser tão bom no que se faz e ter-se uma vida tão miserável assim como a auto-estima. Quem diz o Kurt diz Fernando Pessoa. Se pudesse, tinha uma conversinha com estes sujeitos para perceber o fenómeno do artista deprimido.


Não referi o Johnny Depp porque esse é um dado base. 

10 comentários:

  1. Só discordo do Saramago. Aliás, não tenho nada que discordar porque as escolhas são tuas.

    Mas de qualquer maneira, há algo ali no homem que mexe comigo. Talvez tenha sido daquela vez em que ele disse ou deu a entender que preferia ser espanhol a ser português. Essas coisas caem-me mal.

    Quanto ao Hitler, é na realidade um fenómeno. E lê o Mein Kampf que ele explica lá tudinho!

    ResponderEliminar
  2. Sim, claro que o Saramago disse muita patetice, mas era isso que o fazia diferente, essa vontade que ele tinha de se demarcar do comum mortal. Mas de tudo o que ele disse, o que mais me fascina são as opiniões sobre a religião. O sujeito leu a bíblia e o discurso dele era incrivelmente fundamentado. Gostava de falar com ele sobre isso.

    Quanto ao alemão, hei-de aceitar essa tua sugestão e ler isso. É um dos meus temas preferidos ;)

    ResponderEliminar
  3. Confere :) sou caloira de direito. A sério? :) és boa pessoa, então :p

    ResponderEliminar
  4. Obrigada querida :$

    Percebo bem o "fascinio" pelo Hitler porque também o tenho. A maior parte das pessoas não vê a pessoa inteligentissima que devia ser pois limita-se a saber que ele matou milhares de pessoas e pronto acabou.

    ResponderEliminar
  5. E Fernando Pessoa para mim é "O Génio"!

    ResponderEliminar
  6. É mesmo! O Hitler devia ser tão tão tão inteligente! E ninguém pensa nisso porque se resumem ao senso comum...

    ResponderEliminar
  7. Concordo contigo na parte do Fernando Pessoa. Seria, sem dúvida, uma das minhas escolhas :)

    ResponderEliminar
  8. E já agora, o Johnny Depp é feio! :p

    ResponderEliminar
  9. O Johnny Depp é feio? Não estamos a falar do mesmo sujeito, creio... :P

    ResponderEliminar