Páginas

quinta-feira, 24 de março de 2011

Coisas que me desalinham os chakras

- Perder o autocarro.
- Querer beber leite e a última pessoa com a mesma vontade ter acabado o pacote que estava no frigorífico e não ter aberto um novo e posto lá. Não consigo beber leite não frio.
- Estar dois minutos à procura do que quero na minha mala.
- Ter de esperar seja pelo que for. Sou a impaciência em pessoa.
- Ouvir campainhas e toques de telemóvel.
- Esquecer-me que há familiares, amigos e conhecidos a ler isto e escrever mais do que quero que se saiba.
- Saber que está sol mas que tenho de me enfiar numa sala da aula por longas horas em vez de ser numa esplanada.
- Ganhar força para fazer uma coisa cuja vontade habitual de a realizar é zero - tipo estudar - e no preciso momento que me desloco para a executar surgir alguém que ma manda fazer - tipo "Eduarda, vai estudar".
- Ter de escolher a roupa a usar no dia seguinte.
- Ouvir lamúrias prolongadas de outros ("porque só o lamentar não me deixa avançar", já diziam os Kwantta - clicar para ver o vídeo)
- Querer escrever e ter gente à minha beira.
- Acordar com barulho ou despertadores infernais. Também inclui pessoas que tenham a triste ideia de me acordar.
- Agarrarem-me ou pensarem que sou compatível com excessivo "mel". Todavia há sempre uma ou outra pessoa com autorização para tal.
- Entrar no meu quarto e perceber que o meu queridíssimo irmão achou por bem depositar a artilharia toda dele em cima da minha cama e secretária.
- Escrever muito e no fim odiar tudo o que foi produzido acabando por reencaminhar tudo para o lixo.
- Falar e alguém decidir sobrepor a sua voz à minha - tipo o meu irmão, lá está...
- Andar no youtube e, em vídeos portugueses, ver comentários de ódio por parte de brasileiros que ridicularizam a minha nacionalidade.
- Ver gente a assitir a touradas ou pessoas que não gostem de animais.
- Ficar na faculdade à espera de uma nota e ela não sair nesse dia.
- Perceber o que são as prendas que vou receber nos anos e no natal antes de as abrir.
- Sair à noite e estar no mesmo bar/discoteca que pessoas com mais quarenta ou cinquenta anos que eu. Tenho sempre a sensação que algum de nós não está no sítio certo. E acho que não sou eu.
- Encontrar um DVD do Johnny Deep antiquíssimo na Fnac e perceber que custa 14,50€.
- Ser obrigada a socializar com pessoas que só se sentem bem a falar mal de outros.
- Deparar-me com seres que dizem coisas como "tu não ouves boa música" ou "não sabes o que são bons filmes".
- Ver gente a escrever LOL. Detesto essa sigla. Ódio de estimação. Isso e a Hello Kitty.

Sem comentários:

Enviar um comentário