Páginas

terça-feira, 22 de março de 2011

A facilidade das mulheres

         Afinal, o homem quer uma mulher fácil ou sempre prefere o jogo da conquista? E o que é uma mulher fácil? Quão difíceis devemos ser?

        Ainda não consegui compreender bem as regras sociais que delimitam as barreiras que a mulher não pode pisar nas primeiras conversas e encontros. Imaginemos que uma mulher conhece um sujeito que lhe interessa e que este se mostra exactamente na mesma onda. Até onde deverá ir a mulher sem soar desesperada? E como se sabe que não se está a ser demasiado fria e a passar a ideia de desinteresse?

        Tenho vindo a analisar isto e parece-me que a barreira desinteresse/oferecida é muito ténue. Se uma mulher conhecer um sujeito com um metro e oitenta, olhos claros, simpático e inteligente e lhe disser nas primeiras conversas que ele é giro ou que representa praticamente tudo o que ela aprecia num espécime masculino, vai soar desesperadíssima e que é descartável. Mas se ela não diz nada para não incorrer no erro supramencionado acaba por fazer com que o sujeito em questão pense que o interesse nele é nulo e que dali não consegue nada. E é por isto que os homens são complicados.

2 comentários:

  1. ya... nota-se por este post que os homens é que são complicados ... :p

    ResponderEliminar
  2. Não tenhas dúvidas algumas disso, André. É preciso tirar mestrado para perceber o que se pode ou não dizer e quando a altura certa para o fazer.

    ResponderEliminar