Páginas

sábado, 16 de abril de 2011

Ouço frequentemente a mesma provocação, corrijo, conversa...

      ... que acaba sempre com "eu acho que não devias ter podido vir para Direito". Antes ignorava, agora já me começa seriamente a irritar. Passo a explicar a origem desta conversa: eu no secundário optei pela área de ciências. Foi, a cima de tudo, uma jogada estratégica* porque toda a gente sabe que é uma área que depois dá acesso a muito mais cursos universitários que qualquer outra. Assim, visto que não sabia ainda o que queria fazer - aos 15 anos pouca a gente tem certezas de vida, creio eu - escolhi ciências até porque na altura Engenharia do Ambiente me soava bem.
       É claro que pelo décimo primeiro ano vi que nem matemáticas nem químicas e físicas eram áreas em que me sentia tão confortável como em filosofia, português, inglês e, mais tarde, psicologia já no décimo segundo. Não tardei a compreender que era uma mulher de palavras e não de números e equações e que entrar em Direito era o meu sonho. (Confesso que agora que cá estou tenho a clara noção que fantasiei demais e que isto não é um mar de rosas)
        As provas de acesso ao curso são escolhidas por nós entre Português, História e Inglês e temos de optar por duas delas. Isto aqui em Coimbra, que no resto do país eram as duas primeiras obrigatórias. Ora, por que raio não poderia eu aceder ao curso que queria só porque com quinze anos não fazia a menor ideia do que gostava que fosse o meu futuro? Se estou em desvantagem em relação aos meus colegas que têm as bases de história do secundário? Sim, estou, mas é problema meu e em altura alguma deveria ser um entrave para eu cá estar - até porque mesmo não tenho tal disciplina no secundário é uma área por que me interesso e leio bastante sobre o assunto.
       Mais! No curso em questão o fundamental é o português, língua em que estudamos e nos expressamos, e nesse exame tive dezassete qualquer coisa, arredondando, dezoito, se a memória não me falha. E tenho falado com muita gente que alegadamente merece estar lá e teve dez ou onze no mesmíssimo exame. Se estiveram em Letras e se acham mais dignos que eu a estar em Direito, não deveriam ter tido notas mais altas?
      Também é de valor relembrar que eu, que estou tão mal no curso porque sou uma herege lá das ciências, fiz cadeiras e os que são iluminados pelo Senhor porque tiveram história e geografia andaram ali a patinar e não fizeram nada um semestre inteiro. É por isto que antes de falar devemos olhar para o nosso umbigo e ver o que a casa gasta.

      Só espero não voltar a ouvir a mesma provocação conversa.


* Também ouço coisas como "nós viemos de letras e tínhamos menos escolhas, tu estás aqui a roubar-nos o lugar". A estes respondo da seguinte forma:
     ponto 1: quem tem boas notas não se preocupa em ver o seu lugar roubado porque o tem seguro.
     ponto 2: eu tive de fazer provas de ingresso que não faziam parte do obrigatório, tive de estudar matérias que não ouvi falar nas aulas e cá estou. Assim, se quisessem outro curso, faziam o mesmo que eu e propunham-se a fazer as provas de ingresso necessárias.
     ponto 3: se estavam tão preocupados com as escolhas que iam ter no fim, escolhiam a área de ciências também e depois tinham tudo à vossa disposição. Tão simples como isto.

13 comentários:

  1. Primeiro que tudo, escreveste "arrendando" em vez de "arredondando"...looool :P

    Quanto ao post: não há assim tanta gente que faça o que tu fizeste. E quem te diz que não mereces estar em direito porque escolheste ciências, eu digo que mereces MAIS estar em direito PORQUE escolheste ciências.

    Mas deixa lá, esse pessoal que te diz isso são aqueles que nunca serão nada na vida, portanto é ignorar e andar para a frente.

    ResponderEliminar
  2. Quanto à gralha, está corrigida :) Obrigada!

    E realmente há pouquíssima gente a fazer o que eu fiz. Só conheço mais uma pessoa para além de mim nos trezentos e tal que estamos no primeiro ano.

    Eu antes ignorava este tipo de comentários, mas é que não sei quantos meses depois já custa ouvir e calar. Mas pronto, agora que já me expressei ciberneticamente não tenciono prestar mais atenção a estas patetices.

    "ignorar e andar para a frente"!

    ResponderEliminar
  3. Força nisso e não ligues a comentários de gente derrotista que apenas consegue passar à frente dos outros porque os deitou abaixo. Não caias, mantém-te sempre na linha da frente!
    Fizeste muito por conseguir esse lugar e merece-lo.

    "Vozes de burro não chegam ao céu!", sabes como é ;)

    ResponderEliminar
  4. ah tu mereces menos estar lá por seres de ciências? olha que brincadeira... x) fizeram todos os mesmos exames para lá entrar, não foste privilegiada em nada, nem eles, as regras foram iguais para todos, logo, estão em pé de igualdade em termos de acesso ao curso. aliás!, eles até tinham a História para os "safar", que tu não tinhas. é falta de ter o que fazer, é o que eu te digo :)

    ResponderEliminar
  5. eu estou em ciências e basicamente só estou porque não sei minimamente o que seguir, aliás, eu só estou mesmo porque tenho mais oportunidade de escolha depois.
    Querida, não te deixes afectar com isso (:

    ResponderEliminar
  6. @ Goldalsky: E se fiz :) Sabes bem porque acompanhaste o processo e assististe ao meu sofrimento por ter de levar com coisas de que entendia pouco e ter de estudar isso para mais tarde chegar onde queria. E cá estou :) Acho que isso é merecer ter entrado onde queria.

    @luna: Exactamente! É que vistas as coisas, eu tinha tudo para ficar para trás porque eles fizeram exames de coisas que ouviram durante dois ou três anos. Eu atirei-me aos leões e tive sorte. E a verdade é o que tu dizes, todos fizemos os mesmos exames de acesso. Mas pronto, vai haver sempre gente pronta a criticar, não é?

    @mariana: eu usei a mesma técnica que tu e só agradeço por isso. Hoje estou em Direito e tenho alguns conhecimentos de Química, Física, Biologia, Geologia e Matemática. Tenho uma cultura geral maior graças a isso porque agora desenvolvo o meu lado de história. Claro que chegar aqui me custou muito mais porque, verdade seja dita, as minhas aptidões científicas não são as melhores, mas ao menos aprendi mais e sobre mais coisas. Há males que vêm por bem, parece-me :D

    ResponderEliminar
  7. no meu caso a química e matemática não é muito para mim... Mas pronto, estou nisto e vou até ao fim, venha a quem vier (:

    ResponderEliminar
  8. Mariana, fazes bem! ;) Eu também andei a remar contra a maré e acredita que no fim sabe bem. Força nisso! Se precisares de alguma coisa em que eu seja útil, avisa ;)

    ResponderEliminar
  9. eduarda maria, a tua matildinha já te segue o blog e já passou dos blogs do sapo para o blogger. portanto, qualquer coisinha, passa pelo meu estaminé e deixa lá um "ÔI :B", ahah :b

    ResponderEliminar
  10. Manda-os à merda,esse pessoal não interessa a ninguém*

    ResponderEliminar
  11. Ainda não me lembrei de os mandar visitar esse lugar. Mas talvez passe a pensar nisso :P

    ResponderEliminar
  12. Eu tirei uma PG em Gestão de PME's e não sabia nada de contabilidade ou análise financeira ou balanced score cards. E fiz. ;)

    ResponderEliminar
  13. Eu acho piada é que os alunos de letras se queixam que os alunos de ciências entrem nos cursos de letras, sabendo perfeitamente que os alunos de ciências são detentores de uma elevada cultura geral. Muitos dos alunos de letras vão para essa area ou porque n gostam de ciencia exactas ou porque têm muita dificuldade nelas, mas mesmo assim surgiu a nova moda, e não pensem que são poucos, os alunos de letras que querem ir para cursos superiores de ciências ! como enfermagem (o que se encontra na bera), que exige conhecimentos de quimica e biologia, os quais os alunos de letras pensam que já são detentores desde o 9º ano...

    ResponderEliminar