Páginas

quarta-feira, 12 de março de 2014

Não sei sobre o que escrever

    Parece que entrei num processo de estupidificação e não tenho ideias nem a destreza com as palavra que outrora tive. E isto é frustrante porque a vontade de prender às palavras ideias aleatórias não desapareceu nem minorou. Está cá sempre a borbulhar, a gritar-me que devia estar a puxar mais por mim. Mas espremo-me e não consigo. Nenhuma ideia é boa o suficiente, nenhum texto tem a qualidade que acho razoável (o que se aplica a todos os ja publicados desde a "reabertura"). 
     Por esta razão, pais, ofereçam-me isto, fáchabôr.

     Tenho lido que escrever é como qualquer outro desporto que, se deixamos de praticar, perdemos o jeito. E foram praticamente dois anos sem escrever por amor, por me sentir perdidamente apaixonada pelo que fazia. Pelo contrário, a escrita serviu como um processo para exorcizar coisas que não interessam guardar.
     Assim sendo, estou mortinha por comprar um destes dois (e por comprar deve entender-se que me ofereçam):


    Já o vi à venda na fnac. Por isso, almas caridosas deste mundo, é dar-me aqui uma prendida que eu sou boa pessoa e mereço.



     Nunca vi à venda em Portugal. Contudo, mãe, podes mandar vir da net daqui.
     E pronto, é só isto.
     Beijinhos para o mundo, que eu hoje estou bem disposta.



Sem comentários:

Enviar um comentário