Páginas

terça-feira, 5 de maio de 2015

O Sangue, os gays e a discriminação que o João Miguel Tavares diz não existir

          Já tinha visto o Governo Sombra do dia 1 de Maio onde João Miguel Tavares expôs a sua posição face à proibição posta aos homens homossexuais de dar sangue e hoje li o artigo que escreveu para o Público. Voltei a acolher precisamente os mesmos argumentos com algum espanto.

        O jornalista é a favor da proibição que não considera discriminatória. Para fundamentar a sua opinião, pelo que eu pude entender, este tem dois argumentos principais:
        1) A população masculina homossexual é caracterizada por comportamentos sexuais de risco. É, ainda, a grande causa da difusão do vírus do HIV.
        2) Os heterossexuais são uma "comunidade proporcionalmente menos exposta ao HIV" e que praticam menos sexo anal.

       Ora, sobre o que foi dito no Governo Sombra, há um ponto sobre o qual sou totalmente de acordo: o direito que existe é o de receber sangue nas melhores condições possíveis e não o de quem quer que seja dar sangue. Mas é por essa razão que o sangue dado é analisado. Portanto, não se coloca aqui a questão de descortinar quem é que pode dar sangue ou não - todo o material dado é submetido a análises.

        Quanto aos argumentos de João Miguel Tavares, parece-me que há várias premissas que vêm do século XX.
        1) Os comportamentos de risco é que difundem as doenças, e não uma determinada população específica. A razão pela qual se poderá considerar o sexo anal a causa maioritária da transmissão dos vírus (e aqui são precisos dados) é a falta de informação sobre este - muita gente o pratica sem protecção ignorando os riscos associados e que são conhecidos para outro tipo de penetração. 
         Há comportamentos de risco em relações heterossexuais e a probabilidade de contrair doenças é exactamente a mesma do que em relações homossexuais. Há comportamentos de risco na prostituição e um(a) prostituto(a) pode dar sangue. 
         
        2) A questão que João Miguel tanto aponta da lei das probabilidades e de ser mais provável contrair a doença com sexo anal e que este é mais praticado por homossexuais... Que dado objectivo é este? Quem concluiu isto?
        Pode parecer surpreendente mas... Há casais heterossexuais a praticar sexo anal. Mais, há homens heterossexuais que fazem amor com rabos de senhoras com tanta ou maior frequência do que aquela com que lhes visitam o pipi.
        Há casais homossexuais prudentes que usam protecção sempre que têm relações e há pessoas heterossexuais inconsequentes que se expõem a comportamentos de risco sem qualquer protecção.

        3) Relativamente ao sexo anal ser um comportamento de risco porque isso é "pôr pilinhas onde é suposto saírem mais coisas do que entrarem" (dito no Governo Sombra)... 
Nem preciso de comentar isto. 

          Assim, não percebo como é que esta medida não é puramente discriminatória. 
        

2 comentários:

  1. "Mais, há homens heterossexuais que fazem amor com rabos de senhoras com tanta ou maior frequência do que aquela com que lhes visitam o pipi."

    LOOOOOOOOOOOOOOOOOL
    Que linda frase :P

    Bem vinda de volta ao blog :P

    ResponderEliminar