Páginas

domingo, 20 de setembro de 2015

Mas só se debate sobre dinheiro?

        Ninguém debate planos para a educação? Não sei o que se passa nas outras áreas, mas no Português, está tudo pela hora da morte. Os miúdos hoje têm a capacidade de expressão e interpretação de uma batata. E o cenário não me parece ter tendência a melhorar. É difícil para os alunos, que passam horas e horas enfiados na escola como se isso se traduzisse em sucesso; e para os professores, que estarão certamente cansados e, muitos, longe de casa (não ignorando que falta uma triagem melhor para escolher bons docentes).

       Ninguém debate saúde? O sistema nacional está a morrer e ninguém faz nada. A propósito... Para quando uma base de dados nacional que reúna as informações recolhidas sobre o mesmo paciente em diversas unidades de saúde no país? 

       Ninguém debate Segurança Social? Isto é, não há quem considere importante responder ao problema da pobreza em vez de continuar a falar em números abstractos (e imaginários)? Ou a pobreza só interessa quando é preciso ser usada como escudo xenófobo contra a vinda de refugiados de guerra?


        Como é que alguém decide em que partido votar se nenhum fala de muito mais para além de números?

2 comentários: