Páginas

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

O que é realmente importante.

"E de novo acredito que nada do que é realmente importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre!"



Também encontrei isto perdido nos meus ficheiros aqui no meu computador. Tenho esta mania, a de deixar pensamentos soltos apontados numa qualquer folha digital num lugar esquecido. Isto quer dizer que não faço a mínima ideia a que propósito surgiu tal amontoado de palavras, mas até tem um efeito visual e gramático interessante.

Capuchinho Vermelho

"Tás a ver uma dama com um gorro vermelho? Yah, essa cena! A pita foi obrigada pela kota dela a ir à toca da velha levar umas cenas, pq a velha tava a bater mal, tázaver? E então disse-lhe:
- Ouve, nem te passes! Népia dessa cena de ires pelo refundido das árvores, que salta-te um meco marado dos cornos para a frente e depois tenho a bófia à cola!
Pá, a pita enfia a carapuça e vai na descontra pela estrada, mas a toca da velha era bué longe, e a pita cagou na cena da kota dela e enfiou-se pelo bosque. Népia de mitra, na boa e tal, curtindo o som do iPod...
É então que, ouve lá, salta um baita dog marado, todo chinado e bué ugly mêmo, que vira-se pa ela e grita:
- Yoo, tá td? Dd tc?
- Tásse... do gueto ali! E tu... tásse? - Disse a pita
- Yah! E atão, q se faz?
- Seca, man! Vou levar o pacote à velha que mora ao fundo da track, que tá kuma moka do camano!
- Marado, marado!... Bute ripar uma até lá?
- Epá, má onda, tázaver? A minha cota não curte dessas cenas e põe-me de pildra se me cata...
- Dasse, a cota não tá aqui, dama! Bute ripar até à casa da tua velha, até te dou avanço, só naquela da curtição. Sem guita ao barulho nem nada.
- Yah prontes, na boa. Vais levar um baile katéte passas!!!
E lá riparam. Só que o dog enfiou-se por um short no meio do mato e chegou à toca da velha na maior, com bué avanço, tázaver? Manda um toque na porta, a velha "quem é e o camano" e ele "ah e tal, e não sei quê, que eu sou a pita do gorro vermelho, e na na na...". A velha abre a porta e PIMBA, o dog papa-a toda... Mas mesmo, abre a bocarra e o camano e até chuchou os dedos...
O mano chega, vai ao móvel da velha, saca uma shirt assim mêmo à velha que a meca tinha lá, mete uns glasses na tromba e enfia-se no VL... o gajo tava bué abichanado mêmo, mas a larica era muita e a pita era à maneira, tásaver?
A pita chega, e tal, e malha na porta da velha.
- Basa aí cá pa dentro! - Grita o dog.
- Yo velhita, tásse?
- Tásse e tal, cuma moca do camâno... mas na boa...
- Toma esta cena, pa mamares-te toda aí...
- Bacano, pa ver se trato esta cena.
- Pá, mica uma cena: pa ké esses baita olhos, man?
- Pá, pa micar melhor a cena, tázaver?
- Yah, yah... E os abanos, bué da bigs, pa ke é?
- Pá, pa poder controlar melhor a cena à volta, tázaver?
- Yah, bacano... e essa cremalheira toda janada e bué big? Pa que é a cena?
- É PA CHINAR ESSE CORPO TODO!!! GRRRRRRRR!!!!
E o dog manda-se à pita, naquela mêmo de a engolir, né? Só que a pita dá-lhe à brava na capoeira e saca um back-kick mesmo directo aos tomates do man e basa porta fora! Vai pela rua aos berros e tal, o dog vem atrás e dá-lhe um ganda-baite, pimba, mêmo nas nalgas, e quando vai pa engolir a gaja aparece um meco daqueles que corta as cenas cum serrote, saca de machado e afinfa-lhe mêmo nos cornos. O dog kinou logo ali, o mano china a belly do dog e saca de lá a velha toda cheia da nhanha. Ina man, e a malta a gregoriar-se toda!!!
E prontes, já tá..."



Tenho este texto guardado no meu computador à muito tempo e decidi publicá-lo agora. Encontrei-o algures, não me lembro exactamente onde. E achado não é roubado.

Nove coisas sobre mim.

Desafio posto pelo Bom Ladrão (http://bomladrao.blogspot.com) aceite.
Este consistia em escrever nove coisas sobre mim, sendo três delas mentira.
Aqui deixo então a minha resposta.


As nove coisas (sendo 3 delas mentira) sobre mim são:

- Tenho uma aversão inexplicável à Hello Kitty e a sigla LOL.
- Numa primeira impressão, as pessoas acham-me bruta e anti-social.
- Não tenho complexos com o meu corpo.
- Tenciono ser freira e seguir a palavra do senhor.
- Ouço qualquer tipo de música desde heavy metal a fado, excepto kizomba.
- Há pessoas com quem tenho "medo" de falar por achar que me odeiam.
- Quero desesperadamente um piano de cauda.
- Escrevo muito embora não apresente aptidões para tal.
- Estudo muito.



Desafio-vos agora a adivinharam quais destas são mentira.
Ainda passo o testemunho a Alguém (http://burrodenunciador.blogspot.com/), ao Goldalsky (http://publicacoesgoldalsky.blogspot.com/), e ao Purple Teen (http://purpleteenwizard.blogspot.com/).
Sim, na teoria deveria desafiar nove bloggers.

17

E pronto, desde 5 de Fevereiro que tenho 17 anos.
Desde já digo que não noto qualquer diferença. Isto de fazer anos é estúpido.
Só quero os 18 e a carta de condução. (e de preferência, dinheiro para a gasolina.)